Em um mundo onde a intolerância religiosa parece estar cada vez mais intensa, grupos cristãos têm sido alvos crescentes de perseguição. De acordo com a ONG Open Doors, que monitora esse tipo de perseguição religiosa, há cinco anos apenas um país era considerado de alto risco para cristãos, a Coreia do Norte. Hoje esse número subiu para onze.

 

A ONG divulgou esse ano o ranking atualizado dos 50 países mais perigosos para se expressar a fé cristã. A Coreia do Norte encabeça a lista seguida por Afeganistão, Somália, Líbia, Paquistão, Sudão, Eritreia, Iêmen, Irã, Índia e Síria. Ao todo, estima-se que cerca de 4,136 cristãos foram assassinados por causa da sua fé desde 2018.

 

 

 

 

Dados do World Watch List 2019, filtrados após muitas entrevistas e apurações, apontam que a perseguição aos cristãos está se intensificando e espalhando. Mais de 245 milhões de pessoas têm sido perseguidas porque acreditam em Jesus Cristo. 1 em cada 9 cristãos é perseguido por causa da sua fé.

 

Tais estatísticas revelam que no continente asiático a perseguição aos cristãos tem ficado cada vez mais frequente. Além de expressar o problema em números, o relatório também traz histórias de cristãos que tiveram que fugir para continuar vivos e destaca o impacto desse comportamento radical nas crianças.

 

Apesar de estar em expansão na Ásia, engana-se quem pensa que esse tipo de intolerância religiosa se restringe àquela região. De acordo com o relatório, cristãos também têm sido perseguidos na Colômbia e no México – países de maioria cristã. Na Colômbia, a presença de guerrilhas continua representando uma ameaça aos cristãos. No México, segundo o relatório, o crime organizado é o principal responsável por ataques a cristãos.

 

Por Bruno Gentile (UFRJ / Brazil)

 

Para mais informações, acesse: https://www.opendoorsusa.org/christian-persecution/world-watch-list/?utm_source=General+Subscription&utm_campaign=b9f90ac367-EMAIL_CAMPAIGN_2018_10_26_05_42_COPY_01&utm_medium=email&utm_term=0_df4a07f94a-b9f90ac367-176810357

Share: